Fragilidade Forte.



Contrariando as afirmações, mesmo que revestidas de poesia e/ou romantismo, constantes na literatura, e dramaturgia, se inspirada nas realidades e/ou nas ficções, a Mulher se reinventou, acreditou, lutou, chorou, sorriu, encontrou forças em todas as oportunidades que lhe foram oferecidas, mesmo que mínima, e quase que aparente, mas, operante; sim porque se virando seja como mão de obra, pessoa, inspirada e inspirante, Ela, resistiu a tudo, e porque não dizer a quase todos, superando  inclusive suas próprias limitações se fazendo notável tanto pela beleza interna, quanto externa, firmando-se aos poucos como Mulher. Neste mês, Todas as atenções são voltadas a Ela, isso mesmo! Todas as atenções, as de quem a quer, deseja e/ou preciea, seja como pessoa, objeto de amor, amante no sentido amplo da palavra, e/ou esposa âncora e sustentáculo da família, ou ainda de empresas, igrejas e política, nesta, apesar de recente, não deixa de ser um avanço.  Considerando todas as virtudes da mulher, qualificada como virtuosa, na percepção bíblica, há ainda o lado averso o da leviandade, que pode ser endireitado, só que para isso, o querer, a vontade e a disponibilidade é condicionante, nada de anormal se considerar a incompletude nata no ser humano.  Como na rosa há espinhos, na mulher não seria diferente, mas, a função dos espinhos não precisa ser exatamente o que aparenta, perfurar, ferir, mas, também cumpre a função defesa, o que exige de quem d’ela se achega, um certo cuidado, uma atenção mais completa, para só então sentir o aroma constante nela, flor mulher, tocá-la, mas, com a sutileza e firmeza do aconchego. Seja qual for a cor, o aroma, o tamanhão, o peso, a virtude o defeito, que nela encontrares, mexa-se, reinvente-se, se preciso, veja-a como tal, veja-a como mulher. A mulher, foi objeto de homenagem nesta quinta dia 05, em sessão solene, na Câmara Municipal de Imperatriz, anunciada pelo presidente vereador José Carlos (PTB) que deu todas as condições para a realização da solenidade que reuniu homens e mulheres, foi o que se chama de casa cheia. Para marcar o mês da mulher, a sessão-homenagem foi presidida pelas vereadoras: Fátima Avelino (PMDB), Caetana Frazão e Teresinha Soares, ambas do (PSDB), que conduziram muito bem, oportunidade em que as mensagem e os reconhecimentos à mulher, ou melhor, às mulheres, que foram agraciadas com símbolo que as traduzem: Sois você, sois pessoa, sois fêmia, sois guerreira, sois humana, sois templo da vida, sois mulher. (Antonio)  

Postar um comentário

0 Comentários